Última atualização em: 26/02/06 13:44

A Raça Guzerá

Nome original: Kankrej 

Selo de Mohenjo-Daro

Sêlo de Mohenjo Daro

Espécie: Bos indicus, zebú ou cebú(países latinos).

Origem: norte da Índia, milhares de anos atrás, como prova o selo encontrado nas ruínas de Mohenjo-Daro (cidade indiana destruída há cerca de 5000 anos).

Habitat natural: terras baixas, em alguns lugares situadas abaixo do nível do mar, com precipitação pluvial entre 500 e 650 mm/ano, variando a temperatura entre 5 e 50 graus centígrados.

Características raciais: Pelagem variando do cinza claro ao cinza escuro, chifres em forma de lira, pêlos curtos, pele escura.

Importância: É a principal raça bovina na Índia, tendo o maior rebanho do país. É uma das principais raças no Brasil, com especial importância na região Nordeste do país, onde tem predominância sobre as demais raças pela sua extrema rusticidade.

Características funcionais:

Dupla aptidão: A raça Guzerá é a única raça zebuína que pode ser considerada de dupla aptidão (carne e leite), com os animais em idade adulta chegando a atingir 1.300 kg e 950 kg (machos e fêmeas respectivamente), e suas fêmeas atingido produções de leite próximas de 10.000 kg/leite/lactação.

A Recordista Mundial de Peso entre as raças zebuínas é a matriz CADA S, que atingiu 1.026 kg.

Carne: Das 66 Provas de Ganho de Peso oficiais realizadas entre 1977 e 1992 pela ABCZ (Associação Brasileira dos Criadores de Zebú), que executa os registros de todas as raças zebuínas no Brasil (Guzerá, Brahman, Nelore, Gir, Indubrasil, Cangaiam, Sindi e Tabapuã), o Guzerá venceu 66,7% das provas de que participou

Rendimento de Carcaça e Conversão Alimentar: No Teste de Rendimento de Carcaça e Conversão Alimentar, realizado também pela ABCZ com a participação de todas as raças zebuínas, o Guzerá ficou com o primeiro lugar nas duas características avaliadas.

Rusticidade: Até mesmo pela sua região de origem na Índia, que apresenta baixíssima precipitação pluviométrica e grande amplitude térmica, a raça Guzerá é a raça zebuína de maior rusticidade às intempéries climáticas.

Cruzamentos: Para o cruzamento com outras raças (zebuínas ou européias) o Guzerá tem demonstrado ser a raça de melhores resultados, já que quando cruzada com outra raça zebuína aumenta a produção leiteira das crias, que terão maior habilidade materna e um desempenho médio de peso superior. Quando cruzada com raças européias aumenta a rusticidade dessas viabilizando a criação destes mestiços mesmo nas mais severas condições climáticas. Além disso a raça serviu como base para a formação de algumas raças brasileiras como: Indubrasil, Tabapuã, Pitangueiras, Lavínia, e especialmente a raça GUZOLANDO, entre outras.

O respeitado site norte americano Breeds of Livestock, afirma que o Guzerá foi a mais importante raça na formação do Brahman (American Brahman), e ainda que "o crescimento pré-desmama do Guzerá puro, é o maior entre as raças zebuínas" . Afirma ainda que "resultados similares são reportados para peso na desmama, ganho pós-desmama, peso no ano* e ganho de peso e eficiência em confinamento", e prossegue dizendo que "o Guzerá apresenta adaptabilidade a condições ambientais tropicais e sub-tropicais, tolerância a insetos e resistência a várias doenças, longevidade e habilidade maternal, especialmente em cruzamentos com as raças taurinas. O gado é dócil sem problemas de temperamento e é fértil sob condições adversas".

Situação Atual da Raça: Atualmente o Brasil é, juntamente com a Índia,  o principal centro criador da raça no mundo, porém uma expressiva quantidade de material genético da raça vem sendo exportado para a Venezuela, Colômbia, Paraguai, México, Costa Rica e outros países.

Apesar de a raça ter dupla função, existem linhagens especializadas em Carne ou em Leite, bem como rebanhos que selecionam para as duas funções.

Na seleção leiteira se iniciou em 1995 o Teste de Progênie para Leite, realizado sob a supervisão da EMBRAPA (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), e que tem por objetivo testar para leite de 8 a 10 touros por ano da raça, selecionados dentro dos principais rebanhos do país. Com o mesmo objetivo se encontra funcionando desde 1994 o núcleo MOET (sigla em inglês de ovulação múltipla e transferência de embriões), que conta com destacadas matrizes de leite da raça entre as suas doadoras.

Os primeiros resultados desses trabalhos foram divulgados conjuntamente em maio/2000, e cujo resumo apresentamos na página "opções de melhoramento".

Na seleção para carne o Guzerá conta atualmente com pelo menos 3 programas de melhoramento, o "PAGRG - Programa Nacional de Avaliação Genética da Raça Guzerá", conduzido pela USP/ACGB, o "PMGZ - Programa de Melhoramento Genético das Raças Zebuínas" conduzido pela ABCZ e o "Geneplus" conduzido pela EMBRAPA. Esses trabalhos já estão gerando resultados através de diversos Sumários de Touros, Matrizes e Produtos que já vem servindo de orientação aos criadores da raça.

 

* 365 dias